Arquivo da tag: escola de atores

Os benefícios do teatro para o autista

bigstock-134751998-300x200

Nessa semana, no dia 2 de Abril, comemorou-se o dia Mundial da Conscientização do Autismo.

O autismo pertence a um grupo de doenças do desenvolvimento cerebral, conhecida como a TEA – Transtornos de Espectro Autista.

Por isso, resolvemos falar desse assunto, pois neste caso, a ciência e a arte podem andar juntas, sim.

Algumas iniciativas que unem a psicologia e o teatro têm se mostrado eficientes no controle de problema relacionado ao TEA.

PROJETO TEATRO SENSES

Estudos realizados nos E.U.A pelo projeto Teatro Senses, procuram ajudar crianças com esse transtornos a melhorar as habilidades sociais.

“Atuar pode causar impactos profundos na maneira como interagimos com os outros; a técnica ajuda a apurar o pensamento e a tornar o comportamento mais flexível”, diz a Blythe A. Corbett, da Universidade Vanderbilt, e atriz aposentada.

HABILIDADES DESENVOLVIDAS

As habilidades que são desenvolvidas pelos exercício dramáticos moldam a 3 principais dificuldades apresentadas por pessoas com esse transtorno, que seria: a flexibilidade na imaginação, interação social e comunicação.

No inicio do estudo, as crianças participam de improvisações e de jogos que lhes permitem assumir diferentes papeis, seguido por lições de roteiro, para depois se apresentarem em uma peça.

A habilidade de interação e a percepção social são medidas antes e depois do processo. O resultado é que ao final, as crianças mostraram aumento na consciência social e se recordavam melhor dos rostos.

RESULTADOS PROMISSORES

Da mesma maneira, outros dois grupos apresentam resultados promissores. A iniciativa Shakespeare e Autismo utilizam de jogos teatrais (com base em cenas das peças do poeta e dramaturgo inglês) e também o ritmo do pentâmetro iâmbico (métrica utilizada na poesia e nas artes dramáticas) para ensinar de forma implícita habilidades sociais.

O projeto Imaginando o Autismo, liderado pelas professoras de teatro Nicola Shaughnessy e Melissa Trimingham, da Universidade de Kent, na Inglaterra, tem como proposta uma programação semanal para as crianças com a síndrome, que agrega atuação, teatro de fantoches e elementos digitais interativos.

As equipes que estão envolvidas nos programas Teatro Senses e Shakespeare e Autismo estão em fase de conclusão de estudos mais rigorosos que comparam os participantes com crianças na lista de espera.

Viu só como o teatro se faz importante para a vida de muitas pessoas?

Qual a importância de direcionar suas ideias em um roteiro

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
OLYMPUS DIGITAL CÂMERA

A IDEIA
Todo roteiro começa sempre a partir de uma ideia. Assim como toda obra literária e toda obra de arte, partem também de uma ideia. Ideias valem ouro!
A criatividade pode ser alimentada pela observação e interpretação da realidade, muita leitura, pesquisa, vivências do autor, brainstorms com amigos e parceiros, etc. O importante é que cada um desenvolva seu próprio processo criativo, como por exemplo, métodos de relaxamento ou rituais simples para instigar a imaginação e despertar a intuição. No entanto, a transpiração é tão importante quanto a inspiração.
Segundo o dramaturgo Doc Comparato “Escrever um roteiro é como se tivéssemos uma câmera atrás do olho e ainda mais, pois a câmera tem maior acuidade visual do que o olho e isso a aproxima da imaginação”.

O CONFLITO
Traduzir a ideia em um conflito essencial e condensá-lo em palavras, pois ele se torna a matéria prima da dramaturgia e pode confrontar diversas forças. Por exemplo: O ser humano contra outros seres humanos, o ser humano contra as forças da natureza, o ser humano contra ele mesmo, etc. Todo o bom roteiro tem um conflito essencial e pode ser resumido em uma única frase.

A SINOPSE OU ARGUMENTO
Determinar quem viverá o conflito básico e definir o perfil das Personagens. Uma ferramenta interessante para a criação de personagens consistentes é criar uma ficha, contendo informações diversas sobre cada uma delas, como por exemplo, seus dados, seus hábitos e costumes, religião, situação financeira, dados biográficos, perfil psicológico, crenças religiosas, filosóficas, etc.
Além das personagens, a Sinopse deve definir a localização da ação, em que época ela acontece e descrever o decurso da Ação Dramática, a estrutura da ação, descrita no próximo passo.

eraumavez2

A ESTRUTURA OU ESCALETA
Definir de que maneira as personagens viverão o Conflito, ou seja, de que forma a história será contada. Para isso é importante definir o Plot da ação, ou seja, a parte central da Ação Dramática, a espinha dorsal do roteiro.
A Estrutura é a divisão da Sinopse em partes e a forma, ou seja, como a trama vai evoluir até o desfecho. Uma estrutura clássica é conhecida como Ternário (divide-se em três partes). Na Estrutura é preciso definir também o Formato do audiovisual. Para tanto, o primeiro passo é determinar a mídia ou o veículo para o qual se destina o roteiro e depois, fixar o Formato de acordo com a mídia alvo.

O PRÉ-ROTEIRO
Incluir os diálogos (falas ou locução) que são o fator determinante do Tempo Dramático das cenas ou sequências. Definir as palavras que serão usadas pelas personagens que viverão o Conflito.
As Rubricas (ou indicações) devem acompanhar as falas descrevendo o estado de ânimo ou atitudes das personagens para orientar o diretor e os atores com relação ao clima de cada fala e de cada cena.
Os principais aspectos para a criação dos diálogos são a coerência e o conteúdo das falas, e a maneira como se fala. A narrativa elaborada no pré-roteiro, que até aqui é vista como um todo, será dividida em cenas, ou sequências. Cada cena deve estar integrada ao todo e o desenrolar das cenas deve ter um Ritmo que resulte num tempo ideal.

A harmonia do Ritmo determinará a harmonia do conjunto da obra. O Pré-roteiro é também a fase de fazer Leituras Dramáticas do texto, fazer revisões, ouvir feedbacks, refletir sobre o texto e reescrever as cenas e sequências quantas vezes isso for preciso.

eraumavez3

ROTEIRO FINAL
O roteiro final é um trabalho de equipe que requer a interação do roteirista com o diretor, a equipe de produção e até com o elenco. É hora de corrigir imperfeições e trabalhar as imagens mais a fundo, incluindo os Movimentos de Câmera e Planos de Filmagem. Aqui também serão incluídos a Iluminação, a Trilha Sonora, o Elenco e outros detalhes de produção. Ao final deste trabalho o roteiro deve estar pronto para ser gravado.
Doc Comparato acredita que “Compete ao diretor e à sua equipe, converter o roteiro literário em roteiro técnico… Elaborar o roteiro final significa converter o Primeiro Roteiro – um texto – em uma ferramenta de trabalho que será entregue à equipe de produção para ser traduzida em imagens e sons”.

Quer participar de uma Oficina de Roteiro e aprender na íntegra as técnicas necessárias para direcionar suas ideias de maneira prática e correta?

Venha participar da Oficina de Roteiro com Suzana Pires, que será realizada na BRAAPA Escola de Teatro, nos dias 14,15, 21 e 22 de abril, das 10h às 18h.

Saiba mais em: http://bit.ly/2HEWeqQ

Fonte: WWB – WebWrittersBrasil